Uma janela para o audiovisual capixaba no Cineclube São Jorge

O ano em que fizemos contato_web

As Sessões Capixabas apresentarão os filmes do diretor Erly Vieira Jr. em seu evento de estreia

Nesta quarta-feira (18), às 19h30, o Cineclube São Jorge dará início às “Sessões Capixabas”. O primeiro evento desse projeto exibirá quatro curtas-metragens do diretor Erly Vieira Jr.: “Grinalda” (2006), “Eu que nem sei francês” (2008), “Avenca” (2009) e “O ano em que fizemos contato” (2010 / imagem acima). Após a projeção dos filmes, o público ainda participa de um bate-papo com o realizador. O Cineclube São Jorge funciona na Galpão Produções que está situado no Bairro República, em Vitória. A entrada é franca.

Uma janela para o audiovisual produzido no Espírito Santo, as Sessões Capixabas  realizarão exibições de produções locais seguidas de uma conversa informal com diretores e produtores. Essa iniciativa busca dar visibilidade ao cinema capixaba, contribuir com a democratização artístico-cultural e promover a aproximação entre o público e os realizadores.

Um projeto independente, as Sessões Capixabas são uma realização do Cineclube São Jorge, espaço de exibição mantido pela Galpão Produções e pelo Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA).

Sobre Erly Vieira Jr.

ErlyEscritor, cineasta e pesquisador em audiovisual e artes visuais, Erly Vieira Jr assina a direção e o roteiro de dez curtas-metragens (direção e roteiro), sendo sete ficcionais: “Macabéia” (2000, co-dirigido por Lizandro Nunes e Virgínia Jorge e premiado no Festival de Gramado em 2001 como o Melhor Curta 16 mm e Melhor Roteiro), “Pour Elise” (2004), “Saudosa” (2005, co-dirigido por Fabrício Coradello), Grinalda (2006), “Eu que nem sei francês” (2008), “Avenca” (2009) e “Pra casa agora eu vou” (2012).

Em 2010, Erly dirigiu três documentários, todos retratando artistas visuais e obras contemporâneas: “Silentio”, dedicado à exposição homônima do paraibano José Rufino realizada em Viana, ES; A mão tagarela, sobre o artista capixaba Hélio Coelho; e “O ano em que fizemos contato”, documentário experimental reunindo intervenções e performances de sete artistas capixabas, nos diversos espaços públicos da cidade de Vitória. Este último trabalho foi selecionado para o I Move Cine Arte (2012), único festival audiovisual brasileiro voltado para filmes que explorem os limites entre o cinema e a arte contemporânea.

Curador do Festival de Cinema de Vitória desde 2012, Erly é Doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ (2012) e Mestre em Comunicação, Imagem e Informação pela UFF (2004). Atualmente, está como professor do Departamento de Comunicação Social e dos Programas de Pós-Graduação em Artes (PPGA) e Comunicação e Territorialidades (POSCOM) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Seu trabalho mais recente na área audiovisual foi o livro “Plano Geral: Panorama histórico do cinema no Espírito Santo”, lançado em 2015 pelo Sesc-ES. Erly também está na fase de finalização do livro “Marcus Vinícius – A presença do mundo em mim”, sobre a vida e obra do performer capixaba Marcus Vinícius (1985-2012)

 

Serviço:

Sessões Capixabas com o diretor Erly Vieira Jr.

Dia: 18 de maio de 2016 (quarta-feira)

Horário: 19h30

Local: Cineclube São Jorge – Rua Professora Maria Cândida, nº 115 – Bairro República – Vitória/ES

Filmes da programação:

Grinalda (Ficção, 11 min., 2006).

Eu que nem sei francês (Ficção, 6 min., 2008)

Avenca (Ficção, 10 min., 2009)

O ano em que fizemos contato (Documentário, 19 min., 2010)

 

ENTRADA FRANCA!

Galpão Produções

About Galpão Produções